Title image

links


links

links


links


dot Trabalhos dos alunos


30 junho 2007

PARABÉNS...

... a todos os alunos(as) que ficaram APROVADOS ou TRANSITARAM de ano.

A quase totalidade dos meus alunos estão de parabéns, o seu esforço e empenhamento foi compensado. Em 106 alunos apenas 5 ficaram não aprovados ou não transitaram.

Sinto-me feliz :- ) pelo101 e um pouco triste :-( pelos restantes. A todos, entretanto, deixo os meus votos das maiores felicidades nos caminhos da vida que todos trilhamos. Porque a vida continua sempre em frente.

Agora que para vós é tempo de férias, algumas sugestões: o Concelho de Oeiras oferece vários espetáculos a que poderão assistir.

XV Festival - Sete Sóis e Sete Luas -

Ontem, por exemplo, fui à Fábrica da Pólvora, em Barcarena, ver ouvir os "Nakaira"; é um grupo que pretende juntar a música e as danças dos países em redor do Mediterrâneo, influenciadas pelo universo grego e pelas ilhas do sul da Europa.

Gostei bastante. Parece-me uma forma interessante de conhecermos um pouco do espaço em que estamos inseridos, cuja riqueza e diversidade não fica a dever nada, bem pelo contrário, às expressões musicais com que somos "bombardeados" todos os dias nos chamados órgãos de comunicação.

Desafia amigos e os teus pais e vai até lá! A entrada é livre e o próximo espectáculo é já no dia 6 de Julho, com os "Olly & The Bollywood". Estes vêm de França.

submetido por Lourdes em 14:59 | 5 comentários links para este post

25 junho 2007

Nos últimos dias antes das férias…

Soubemos o resultado do concurso das Sete Maravilhas do Mundo e de Portugal, na Escola Conde de Oeiras

Maravilhas do Mundo
1 - Machu Picchu
2 - Taj Mahal
3 - Torre Eiffel
4 - Grande Muralha da China
5 - Acrópole de Atenas
6 - Estátuas da Ilha da Páscoa
7 - Estátua da Liberdade

Maravilhas de Portugal
1 - Mosteiro dos Jerónimos
2 - Torre de Belém
3 - Mosteiro da Batalha
4 - Templo de Diana de Évora
5 - Castelo de Guimarães
6 - Ruínas de Conímbriga
7 - Palácio Nacional da Pena
***
Despedidas de mais um ano lectivo



As dedicatórias




A Turma I do 6º Ano

despediu-se assim da

Directora de Turma


BOAS FÈRIAS!

submetido por Lourdes em 19:56 | 8 comentários links para este post

21 junho 2007

Final do Ano Lectivo


A Turma J do 5º Ano organizou e convidou os professores da turma para um almoço convívio.

Á direita a Directora de Turma
Isabel Serra enquanto lia (com a lágriminha...) o cartão que os alunos lhe ofereceram


Os alunos também se organizaram e mostraram que sabem fazer teatro. Eles presentearam-nos, assim, com as suas iniciativas e afectos.

Todos os professores estão gratos pela vossa iniciativa.

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS E BOAS FÉRIAS !


Na Disciplina de Área Projecto
Os alunos do 5º Ano, Turma I, trabalharam o tema:


MARAVILHAS DO MUNDO E DE PORTUGAL
Pesquisaram, identificando cada monumento, dando-lhes o registo e passaram



o Bilhete de Identidade a cada monumento português para que a comunidade escolar o conhecesse.



Montaram uma exposição no pavilhão administrativo












As professoras da Disciplina e responsáveis pela actividade são:
Fátima Costa e Margarida Costa





No dia 20 de Junho de 2007, abriram as urnas à comunidade escolar envolvendo todos alunos, professores e funcionários.





A escola votou para eleger as sete maravilhas do Mundo e de Portugal


submetido por Lourdes em 18:59 | 2 comentários links para este post

16 junho 2007

Azulejando pela Escola Conde de Oeiras...

Casa da Pesca, em Oeiras

Para mim, um dos mais belos cenários em que o azulejo é rei, é também um dos palcos das Festas do Concelho, que têm lugar no mês de Junho de cada ano.

Em Oeiras temos muito bons exemplo de azulejos decorativos:


Palácio dos Marqueses, na Vila de Oeiras, durante uma visita guiada pelo professor José Meco, um dos maiores especialistas mundiais em história do azulejo artístico.

***
"A palavra azulejo designa uma peça cerâmica de pouca espessura, geralmente quadrada, com uma das faces vidrada, resultando da cozedura de uma substância à base de esmalte que se torna impermeável e brilhante.

O azulejo está associado à arquitectura. É utilizado no interior e no exterior dos edifícios como elemento decorativo.

Em Portugal, o azulejo assumiu-se como um importante suporte para a expressão artística."


Vejam os trabalhos dos alunos
António, à esquerda,
e Gonçalo, à direita;

o texto é um extracto do trabalho de pesquisa dos mesmos alunos da Turma E do 6ºAno




Os alunos
das Turmas E e I do 6º Ano pintaram em azulejos

O João, a Sofia e a Susana na execução do trabalho

Os temas propostos foram a figura humana e o módulo padrão.

Alguns trabalhos, depois de cozidos, das alunas:
Ana Mafalda, Inês e Ana Patrícia, da Turma E do 6º Ano



O Azulejo da esquerda é da Maria, da Turma E, e o da direita é da Marta Marques, da Turma I, ambas alunas do 6ºAno

Para veres mais trabalhos clica do lado esquerdo do blog, onde diz
"trabalhos dos alunos"

submetido por Lourdes em 15:56 | 8 comentários links para este post

13 junho 2007

Os pintores que pintámos...

A Marta não queria reproduzir um quadro de Van Gogh mas,
com algum convencimento meu, vejam o que fez

" Ó professora, é muito dificil, não sou capaz."


No fim disse: "- Afinal era difícil, mas até consegui e gostei de o fazer."



Esta pesquisa sobre o pintor também foi feita pela Marta Granadeiro:



Vincent Willem Van Gogh (Zundert, 30 de Março de 1853 29 de Julho de 1890) foi um pintor holandês, considerado o maior de todos os tempos desde Rembrandt, apesar de durante a sua vida ter sido marginalizado pela sociedade.


A sua vida foi toda um malogro. Ele falhou em todos os aspectos importantes para o seu mundo, na sua época. Foi incapaz de constituir família, incapaz de custear a sua própria subsistência, mesmo incapaz de manter contactos sociais. Sucumbiu a uma doença mental.


A sua fama póstuma (após a morte) cresceu especialmente após a exibição de 71 das suas obras em
Paris, a 17 de Março de 1901.


Somente após a sua morte reconheceram o seu valor. O público, que o tinha desprezado durante toda a sua existência, veio, depois da sua morte como tantas vezes lamentavelmente acontece, a dar o devido valor quer à sua vida como à sua obra.

A influência de Van Gogh no expressionismo, fauvismo e abstraccionismo foi notória e pode ser reconhecida em variadas frentes da arte do século XX. Van Gogh foi mesmo pioneiro na ligação das tendências impressionistas com as aspirações modernistas.


O
Museu van Gogh em Amesterdão é dedicado ao seu trabalho e ao dos seus contemporâneos.








A Carolina Conceição fez um tralho de pesquisa sobre Matisse e reproduziu um dos seus quadros


Henri Matisse - Pintor francês, nasceu em 1869, no Norte de França. Abandonou os estudos de Direito para se dedicar à Pintura, tornando-se aluno de Gustave Moreau na Escola de Belas-Artes de Paris.

Familiarizou-se com os pintores do pós-impressionismo, particularmente com Cézanne. O pontilhismo inspirou-lhe cores mais fortes e arrojadas e dessa técnica surgiu o fauvismo. Em Mulher com Chapéu (1905) as pinceladas são vigorosas e as cores abrangem áreas maiores. A cor passa a assumir um papel predominante na obra de Matisse.

Em Bonheur de Vivre (1906) aborda um tema pastoril, clássico e sereno. Este quadro corresponde ao abandono definitivo do neo-impressionismo.

Em 1908 já adquirira uma reputação internacional, os seus quadros eram expostos na Alemanha. A exposição de Nova Iorque em 1913, apresentando a arte moderna aos americanos, incluía 13 trabalhos de Matisse. Neste período concebeu quadros que vieram a ser reconhecidos como as obras-primas do século XX.

O seu estilo tornou-se muito versátil, incluindo trabalhos austeramente geométricos e exuberantemente decorativos. As viagens ao Norte de África, Itália, Espanha e Taiti acrescentaram cores mais ricas e imagens e padrões exóticos.

Nos anos 40 instalou-se definitivamente na Riviera, onde produziu A Cortina Egípcia e Mesa de Jantar - Harmonia em Vermelho. Veio a falecer em Nice, a 3 de Novembro de 1954. No fim da vida, a paixão pelo desenho e pela cor resultou nos guaches em recortes da série dos Nus Azuis (1952) e de Recordação da Oceânia (1953). O último trabalho traduziu-se na decoração da Capela do Rosário, perto de Nice, o que incluiu o projecto das janelas, dos murais e praticamente de todos os objectos interiores e exteriores.



A Inês reproduziu um quadro de Monet e também nos fez este trabalho de pesquisa

Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de Novembro de 1840Giverny, 5 de Dezembro de 1926) foi um pintor francês, o mais célebre entre os pintores impressionistas.

O termo
impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Monet, "Impressão do pôr-do-sol", quando de uma crítica feita ao quadro pelo pintor e escritor Louis Leroy: "Impressão, Nascer do Sol – eu bem o sabia! Pensava eu, justamente, se estou impressionado é porque há lá uma impressão. E que liberdade, que suavidade de pincel! Um papel de parede é mais elaborado que esta cena marinha."
A expressão foi usada originalmente de forma pejorativa, mas Monet e seus colegas adoptaram o título, sabendo da revolução que estavam a iniciar na pintura.

Monet sofreu de
catarata no fim da sua vida, a doença atacou-o por causa das muitas horas com os olhos expostos ao sol, pois gostava de pintar ao ar livre em diferentes horários do dia e em várias épocas do ano, o que foi outra característica do Impressionismo.
Durante sua doença, Monet não parou de pintar; usou nessa época de vida cores mais fortes, como o vermelho-carne, vermelho goiaba, cor tijolo, entre outros vermelhos e cores mais fortes.

Em
1911, com o falecimento de Alice e o seu problema de visão, Monet perdeu um pouco a vontade de viver e pintar. Sua vontade só seria animada com a amizade de Georges Clémenceau, que lhe escrevia cartas de apoio.



O Rui e a Filipa, autores dos quadros da esquerda e da direita, bem como os anteriormente citados são todos alunos da

Turma J do 5ºano da

Escola Conde de Oeiras

submetido por Lourdes em 21:19 | 6 comentários links para este post

10 junho 2007

10 de Junho - também se pinta em português



A Raquel Laureano reproduziu

Amadeo Souza Cardoso
e fala-nos dele:

A sua família influenciou-o a entrar no curso de Direito na Universidade de Coimbra. Depressa desistiu do curso e mudou-se para o curso de Arquitectura na Academia de Belas Artes de Lisboa, em 1905.
O curso não satisfaz o seu génio criativo, por isso parte para
Paris, em 1906, instalando-se em Montparnasse com a intenção de continuar a estudar. As suas primeiras experiências artísticas conhecidas foram desenhos e caricaturas, depois dedicou-se à pintura. Poder-se-á dizer que foi um pintor impressionista, expressionista, cubista, futurista mas sempre recusou qualquer modelo. Apesar das múltiplas influências procurava a originalidade e a criatividade na sua obra.
Em
1910 esteve alguns meses em Bruxelas e, em 1911, expôs trabalhos no Salon des Indépendants, em Paris, aproximando-se progressivamente das vanguardas e de artistas como Amedeo Modigliani, Constantin Brancusi, Alexander Archipenko, Juan Gris e Robert Delaunay. Em 1912 publicou um álbum com vinte desenhos e, em seguida, copiou o conto de Gustave Flaubert, "La Légende de Saint Julien l'Hospitalier", trabalhos ignorados pelos apreciadores de arte, à data.
Voltou a
Portugal, onde teve a ousadia de realizar duas exposições, respectivamente no Porto e em Lisboa. Nesse ano participou ainda no Herbstsalon da Galeria Der Sturm, em Berlim. Em 1914, encontrou-se em Barcelona com Antoni Gaudí, parte depois para Madrid onde é surpreendido pelo início da I Guerra Mundial. Regressou então a Portugal, onde iniciou meteórica carreira na experimentação de novas formas de expressão, tendo pintado com grande constância ao ponto de, em 1916, expor no Porto 114 obras com o título "Abstraccionismo", que serão também expostas em Lisboa, num e noutro caso com novidade e algum escândalo. Morreu em 25 de Outubro de 1918, aos 31 anos de idade.


André Neves também se inspirou em Amadeo

O Rui Sim-Sim e a Raquel
inspiraram-se neste pintor
Manuel Cargaleiro
Sendo, até ao momento “ o primeiro artista português com um museu criado em sua honra no estrangeiro, em Vietri sul Mare, Itália”, Cargaleiro tornou-se pintor contra a vontade do pai, que queria que fosse veterinário ou engenheiro agrónomo, deixando de lhe pagar os estudos quando viu que o filho não queria seguir uma daquelas profissões.

Em 1949, participa no 1º Salão de Cerâmica Moderna e três anos mais tarde faz a sua 1ª exposição individual.
Mas foi em 1954 que teve a sorte de, ao ter dois quadros em exposição, por lá passou Helena Vieira da Silva, pintora portuguesa, como sabem, famosíssima em França e lá residente, até à sua morte, que reparando nas obras, dirigiu-se a Cargaleiro e disse-lhe:
“ – Você tem imenso talento, não fique aqui". E insiste para que vá para Paris.
Cargaleiro vai para Paris, convive com pessoas ligadas à pintura e aí monta o seu atelier. Tendo-lhe sido cortada a Bolsa que conseguira, ao cabo de um ano, por não pretender voltar a Portugal, sobrevive graças à cerâmica, começando posteriormente a ser famoso como pintor.
Segundo entendidos, a sua pintura é muito influenciada por Vieira da Silva, ao que o pintor responde que “a afinidade entre eles é natural”.

Ambos os autores das reproduções de Cargaleito são, também, alunos da Escola Conde de Oeiras, daTurma J do 5º Ano.

submetido por Lourdes em 15:06 | 4 comentários links para este post

06 junho 2007

À descoberta de Pintores do século XIX e XX


O Lourenço reproduziu uma pintura de Gauguin e também nos falou dele:

"Apesar de nascido em Paris, Gauguin viveu os primeiros sete anos de sua vida em Lima, no Peru, para onde seus pais se mudaram após a chegada de Napoleão III ao poder.

De volta à França, em 1855, Gauguin estudou em Orléans e, aos 17 anos, ingressou na marinha mercante e correu o mundo.

Aos 35 anos, após a quebra da Bolsa de Paris, tomou a decisão mais importante de sua vida: dedicar-se totalmente à pintura. Começou assim uma vida de viagens, que resultou numa produção artística singular e determinante das vanguardas do século XX. Ao contrário de muitos pintores, não se incorporou no movimento impressionista da época. Expôs pela primeira vez em 1876."
A Raquel Afonso e a Marta Cardoso reproduziram e falaram de Paul Klee
a Joana também escolheu fazer uma reprodução de Klee

" Nasceu na Suiça em 1879.
Este pintor desde pequeno que se interessou por desenhar e pintar. Os temas que escolhia eram fantasias, nunca temas reais.

Em 1901 Klee foi para Itália com o seu colega de curso Hermann Haller e aí, naturalmente, estudou e explorou os tesouros artísticos desse país.


Em Munique em 1907 a sua carreira de artista foi cheia de altos e baixos, ora sucessos ora fracassos, durante este período a sua fascinação de toda a vida por linhas e tonalidades foi consolidada. Os seus trabalhos são amplos, com uma boa qualidade linear de traços geométricos em negrito. Em 1926, Paul está representado na primeira exposição do grupo surrealista em Paris."


A Beatriz reproduziu um quadro e falou-nos de Pablo Picasso

O Miguel ainda está em fase de conclusão
de outro um quadro de Picasso "A Fábrica"


"Nasceu em 1881, em Málaga.
O seu pai era professor na escola de Belas Artes e desde logo influenciou o filho.
Os trabalhos de Picasso são uns dos mais originais de todos os tempos. A sua pintura passou por vários períodos, entre eles o período Azul e o período Rosa. Foi um pré-cubista e mais tarde um cubista. Uma das pinturas de Picasso é a “Guernica”, que nos mostra os horrores da guerra de Espanha. Hoje este e muitos dos seus quadros estão expostos em vários museus do mundo.
A Beatriz disse:
"o quadro que eu pintei é um retrato de Dora Maar que foi uma das mulheres de Picasso".
O André Dinis, a Carolina Pavão, o João, a Matilde, o Tiago Caselli e a Susana,
escolheram Joan Miró



Trabalho do João à esquerda; à direita, a Susana enquanto pintava.






Trabalho da Carolina Pavão, à esquerda, e, à direita, é a Matilde que está a reproduzir um quadro de Miró






O Tiago enquanto pintava, em baixo, à direita.

"Joan Miró nasceu em Barcelona, em Espanha, em 20 de Abril de 1893. Apesar da insistência do pai em vê-lo graduado, não completou os estudos. Frequentou uma escola comercial e trabalhou num escritório por dois anos até sofrer um esgotamento nervoso. Em 1912, seus pais finalmente consentiram que ingressasse numa escola de arte em Barcelona. Estudou com Francisco Galí, que o apresentou às escolas de arte moderna de Paris, transmitiu-lhe sua paixão pelos a frescos de influência bizantina das igrejas da Catalunha e o introduziu à fantástica arquitectura de António Gaudi.

Estes são alguns dos alunos e dos seus trabalhos do 5º Ano, da turma J, da Escola Conde de Oeiras. Outros serão divulgados oportunamente.

submetido por Lourdes em 17:26 | 2 comentários links para este post