Title image

links


links

links


links


dot Trabalhos dos alunos


31 março 2007

Origami

É a arte japonesa de dobrar o papel. A origem da palavra advém do Japonês ori (dobrar) e kami (papel), cuja junção origina o "origami".

Geralmente parte-se de um pedaço de papel quadrado ou rectângulo - bidimensional - cujas faces podem ser de cores diferentes. Vão-se fazendo dobragens sem cortar o papel até chegar a uma figura tridimensional.


Hoje e porque estás de férias proponho-te fazeres um origami que poderás oferecer como prenda.


Vai seguindo o esquema e tenta fazer uma violeta ou mesmo várias e, depois, formares um ramo.


(Clica nas figuras acima para ampliares as fotos e poderes ler as instruções)



Numa ida a Lisboa encontrei, na zona do Chiado, uma casa com produtos portugueses antigos. Mostro-te aqui alguns. Vê como o aspecto visual das embalagens era bem diferente do actual. Pergunta a um teu familiar mais velho se está recordado de algum destes produtos e para que serviam.


Boas férias!

submetido por Lourdes em 23:11 | 1 comentários links para este post

25 março 2007

Poesia, Chapéus e Marionetas, em S. João da Madeira.




Este fim de semana,

nos dias 23 e 24



a “Poesia à Mesa” aconteceu em S. João da Madeira ( localidade próxima da cidade do Porto).



Os poetas estiveram lá
e a poesia surgiu, naturalmente,
nos restaurantes e nos bares.



Nos restaurantes interrompeu-se, por momentos, a refeição para dar lugar aos poetas...


... tal como nos bares, onde a conversa, a música e o snooker

emprestaram uma parte do seu espaço à poesia.

Na noite de Sábado aconteceu a festa final nos Paços da Cultura.
Foi bom sentir o excelente acolhimento de quantos receberam a poesia e os poetas, nessa interessante iniciativa que enriqueceu as noites de São João da Madeira.
Os meus agradecimentos ao Carlos Mendes, ao Jorge Castro, ao José Fanha, à Lena d'Águae ao Pedro Laranjeira pelos tão agradáveis momentos proporcionados.



No Sábado, dia 24,

fomos ver o Museu dos Chapéus, também em S. João da Madeira, terra conhecida, entre outras coisas, pelo fabrico de chapéus de alta qualidade.
No Museu estava, ainda, esta exposição temporária, de marionetas.

Achei engraçada e... travei conhecimento com algumas, por exemplo, o Mário e a Neta, que posaram para uma foto evocativa deste encontro.
Se, durante as tuas férias, fores a algum local que queiras partilhar comigo e com os teus colegas envia-me fotos e escreve um pouco sobre o que viste.

BOAS FÉRIAS!

submetido por Lourdes em 19:33 | 6 comentários links para este post

21 março 2007

Dia da Primavera, da Árvore e da Poesia





Primeiro dia de Primavera




Dia da Árvore



Dia da Poesia



Cor de Lápis
de um raminho
de cedro
e de um pouco
de carvão
nasce aquilo
com que fazes
um mundo
com a tua mão
...
se ao cedro
somares pigmentos
além do negro
carvão
cada contorno
do mundo
feito pela tua mão
será de flores
por momentos
quem sabe
também de amores
nas mil cores
da tua mão.

- poema de Jorge Castro



O 6ºAno, Turma E, foi ao teatro ver o “Principezinho”,



numa adaptação da obra de Antoine de Saint-Exupéry.
“ O essencial é invisível aos olhos”a partir desta frase os espectadores são levados numa viagem
pelo mundo da amizade e da descoberta do que é realmente necessário para que cada um seja feliz.

submetido por Lourdes em 00:20 | 5 comentários links para este post

17 março 2007

Almada Negreiros…

…a espinha dorsal do modernismo português.

Nos murais da Gare Marítima de Alcântara e da Rocha do Conde de Óbitos as figuras humanas que podemos apreciar aparecem-nos como que saídas de uma cena teatral.

Foi isso que os alunos do 9ºano turma C, da escola Conde de Oeiras, nos quiseram mostrar quando reproduziram um dos murais mais polémicos do tríptico da gare Marítima de Conde de Óbitos, “Cenas de um Domingo Lisboeta”.

Alguns preconceituosos - estávamos nos anos 40 do século XX - acharam que a referência à partida de emigrantes pobres e a representação de saltimbancos (painel reproduzido pelos alunos) afastaria os turistas…

Deve-se - tanto quanto se julga saber - a António Ferro e ao Dr. João Couto, director do museu Nacional de Arte Antiga, à época, a defesa destas pinturas que hoje são parte do nosso património.


E foi graças aos alunos e à professora Rita, Viana que eu foi rever os murais.

A visita integrou-se nos 100 anos do porto de Lisboa. Fomos guiados pelo crítico de arte Rui-Mário Gonçalves, que nos presenteou com uma interessante dissertação sobre os painéis, Almada e o seu enquadramento histórico e artístico .


Almada retratou os portugueses como povo. É um povo que sofre mas consegue finais felizes (a lenda da Nau Catrineta) ...

Nós, pessoas e Escola (professores, alunos, Encarregados de educação, pessoal não docente) , tornamo-nos todos mais sabedores quando partilhamos saberes e experiências.

Se tiverem oportunidade vão até lá e apreciem um dos pintores portugueses que foi ousado, polémico, futurista.

A escola tem de ser futuro. Não esquecendo os saberes do passado, vivendo o presente, estando atento ao que nos rodeia, para encarar o futuro como seres activos e participativos. Só assim seremos nós a construi-lo.

submetido por Lourdes em 13:58 | 1 comentários links para este post

10 março 2007

Letras em festa…

Incentivar o gosto pela leitura foi o objectivo da "SEMANA DA LEITURA".
Os professores de Português da Escola Conde de Oeiras envolveram-se em actividades várias ao longo da semana de 05 a 09 de Março.

Ontem, sexta-feira, mal as aulas acabaram, a comunidade escolar deu início à festa…
a professora Irene Cardona organizou e dinamizou a sessão

Jorge Castro foi o poeta convidado

Alunos, Professores, Encarregados de Educação, representantes do pessoal não docente e convidados enriqueceram este espaço público de leitura. Todos participaram na leitura de textos e poemas.

As letras juntaram-se e as palavras fizeram a festa, deram as mãos, dançaram e coloriram-se com todas as cores.

Todos fomos para casa mais ricos, ao partilhar o convívio com as letras e as palavras ditas.



ALMADA NEGREIROS

É português e foi um dos Grandes nas artes das letras e da pintura





Os alunos da turma C do 9ºAno na aula de Educação Visual, sob a orientação da professora Rita Viana estudaram a obra pictórica de Almada Negreiros com o objectivo de participarem no V concurso de Expressão Plástica "Olhar Almada Negreiros" promovido pela associação de professores de expressão e comunicação visual.

Está de parabéns a turma, pois ficou em 1º lugar!

Painel formado pelo conjunto dos trabalhos individuais.

submetido por Lourdes em 19:19 | 4 comentários links para este post

03 março 2007

Percepção da cor…

Sem luz não existe cor!

- foto de Jorge Castro

A luz e a cor são inseparáveis: se não há luz, não há cor. Num ambiente sem luz do Sol ou luz artificial não vemos qualquer cor; dir-se-ia que tudo fica preto - a propósito, sabes que o preto é a ausência da cor?

Com a luz vemos todas as cores. Nos finais do século XVII, o fisico inglês Isaac Newton descobriu o segredo desta afirmação e o porquê do arco-íris. A luz branca do Sol é composta por todas as cores. Ao ser decomposta pelas gotículas de água - que funcionam como prismas ópticos - conseguem ver-se essas cores individualizadas.


- foto de Jorge Castro

Newton demonstrou esse fenómeno utilizando um prisma triangular de vidro (prisma óptico). A luz branca, ao atravessar o prisma, refracta-se (decompõe-se) nas sete cores do arco-íris.

Sabes quais são essas cores e qual a sequência em que nos aparecem na Natureza?

Outro dos nomes a reter é o do pintor Itten, que foi um estudioso da cor. Construiu um círculo cromático para o estudo da cor-pigmento (são todas as cores que nós usamos ao pintar com lápis de cor, canetas de fletro, guaches ou outras formas de colorir objectos).


Considerou três grupos de cor: Primárias, Secundária e Terciárias.

As cores Primárias são cores no estado puro. Magenta, Azul Ciano e Amarelo (as que estão no triângulo interior).

As cores Secundárias são compostas pela mistura, em proporções iguais, de duas cores primárias. São elas: Laranja, Verde e Violeta (as que compõem o hexágono exterior ao triângulo).

Se fizeres a mistura em proporções diferentes obténs todas as outras cores, que são as cores Terciárias (as que se encontram entre as circunferências da figura acima).

Dá-me uma impressão tua sobre a cor, que possa ocorrer-te quando pensas em roupa, ambiente, casa, escola, etc.

submetido por Lourdes em 20:24 | 33 comentários links para este post