Title image

links


links

links


links


dot Trabalhos dos alunos


29 agosto 2008

Lago Maggiore - Itália


Fim de férias, regresso a casa.

À direita, sobrevoando a Serra da Arrábida, é bem visível a imensa ferida que a pedreira dos interesses não cessa de abrir, numa área de «paisagem protegida»!




Os Italianos receberam-nos bem, especialmente quando se apercebiam que éramos portugueses (de Portugal). As línguas que falamos têm a mesma origem, o que é um ponto de união, como vários nos disseram, fazendo sempre por nos entenderem falando nós em português.

O que vi agradou-me bastante. Em arte foram e são pródigos. A paisagem natural e construída é bela e cuidada. Os ambientes de rua eram limpos e cuidados. Tudo está cuidado. Nos restaurantes não ouvimos gritos nem confusão, mesmo com alguma pressão de gente - convém não esquecer que estamos em pleno Verão. Fiquei com a sensação que tudo aquilo é feito primeiro para que os Italianos usufruam. Os turistas são recebidos como visitas e por conseguinte também são convidados a partilhar o que eles têm para dar... e que usufruem.

Vista do Monte Baldo, 1.745m de altitude;
ao longe, avistam-se os Alpes, com neve











A bicicleta, o principal meio de transporte nas cidades

Na manhã do dia de regresso a casa, ainda fomos dar uma espreitadela ao Lago Maggiore, que é o segundo lago maior de Itália, depois do lago Garda. Uma longa extensão de água encravada entre montanhas atingindo mesmo os Alpes Suíços.
As margens deste lago também estão aprimoradamente tratadas, com uma grande profusão de flores, o clima é dos mais amenos de todos os lagos, o que fez com que, ao longo dos séculos, aristocratas e poetas o tenham escolhido.


























































Não se pense que esta maravilhosa impressão colhida em Itália nos tenha desviado do amor que temos por Portugal. Pelo contrário, ao ver «a casa dos outros» tão arrumada, cresce em nós a vontade de fazermos, pelo menos, o mesmo à nossa... que tão mal tratada tem andado, como precisada do nosso interesse empenhado.

submetido por Lourdes em 19:43 | 3 comentários links para este post

27 agosto 2008

Vicenza - Itália



Os turistas passeiam, os naturais deslocam-se a pé ou de bicicleta (este meio de transporte é, aliás, muito utilizado por homens, mulheres, mesmo de salto alto, velhos e novos... todos andam de bicicleta), mas porque na rua há música, as pessoas param e o concerto acontece...





















Vicenza é a cidade adoptiva de Palladio (século XVI), um pedreiro que se tornou arquitecto muito influente no seu tempo. O estilo que desenvolveu pode ser visto passeando pela cidade, que é uma das mais ricas do Véneto.











A catedral foi bombardeada durante a II Guerra Mundial. Hoje já está reconstruída, no entanto, houve o cuidado de deixar visíveis as marcas deste acto, espalhadas pelo edifício, para memória futura...



O Teatro Olímpico é o teatro mais antigo da Europa ainda em funcionamento. Toda a envolvência da sala, bem como o cenário são de uma grandiosidade e beleza que não é possível descrever. Há esculturas que nos envolvem nas bancadas e o cenário visível é uma representação da cidade de Tebas, a três dimensões... Só estando lá se pode sentir o ambiente, que é único.















Teatro Olímpico - património da Humanidade.




















Outros edifícios e ambientes
de Vicenza

submetido por Lourdes em 19:31 | 3 comentários links para este post

26 agosto 2008

Murano e Burano - Itália


Murano é constituído por várias ilhas, as carreiras de vaporetti de Veneza levaram-nos até lá. ( Embora diste de Veneza algumas milhas, o bilhete que comprámos, de 48 horas e com viagens infinitas, dava acesso a essas ilhas). Murano é um centro de indústria vidreira. Nos séculos XV e XVI foi o principal centro vidreiro da Europa.


Escultura de vidro
Em Murano












Burano é uma ilha com uma arquitectura muito colorida, reconhece-se à distância por ter a torre da Igreja inclinada. Era uma terra de pescadores; neste momento poucos teimam em exercer essa profissão.











Lago Garda, situado a 65m de altitude.
As margens deste lago, a Sul, são relativamente baixas, mas a Norte, são escarpadas e espectaculares. Os lagos que visitei são todos muito bonitos a paisagem natural e a construída pelo homem interagem. A água aqui é doce, vemos sempre a outra margem, mas por vezes esquecemos-nos desses pormenores e até nos parece ser mar.
















Aqui comemos um óptimo gelado!



























Aqui jantámos numa esplanada junto ao lago...

submetido por Lourdes em 16:39 | 1 comentários links para este post

25 agosto 2008

mais de Veneza - Itália

À esquerda, a Ponte Rialto, marca o centro da cidade













À direita
Basilica di San Marco



As máscaras são presença constante... e misteriosa
















Esculturas
(arte moderna) Peggy Guggenheim no jardim da casa museu - junto a uma escultura que produz um estranho efeito óptico.


À porta do Museu Peggy Guggenheim

No museu vi quadros da colecção de Peggy Guggenheim de muitos pintores do século XIX e XX
como Picasso, Magritte, Dali, Miró, Kandinski e tantos outros.













Desloquei-me de barco, entrei em monumentos, passeei a pé, olhei e vi o que me foi rodeando...

Fiquei com a sensação que há muito mais para ver...











Quero voltar!














Em baixo, Igreja Barroca de Santa Maria della Salute





























































A Piazza de San Marco e alguns outros sítios tinham obras, tudo estava, mesmo assim,
organizado e com preocupação de minimizar o incómodo.
Creio que vou lançar mão do pretexto de não ter visto esta praça em todo o seu esplendor, para lá voltar...

submetido por Lourdes em 14:17 | 0 comentários links para este post