Title image

links


links

links


links


dot Trabalhos dos alunos


29 janeiro 2008

Aos 50 Anos do LEGO, Parabéns!



Brincar é bom!

Eu brinquei…

O meu filho brincou…
Os meus alunos brincam …
As crianças brincam há cinquenta anos com estas peças

Criado pelo dinamarquês
Ole Kirk Christiansen, é fabricado em escala industrial em plástico injetado, desde meados da década de 1950, desde então popularizando-se em todo o mundo.

O sistema LEGO é um brinquedo que se baseia em peças que se encaixam sempre umas nas outras permitindo inúmeras combinações. Aprender a fazer fazendo, dando espaço à imaginação e à criatividade.

Se quiseres saber mais vai até aqui. Como curiosidade, uma aplicação da Lego, sugerida pelo Skimmas, aqui.

Quem sabe se aqueles primeiros passos que a fotografia documenta não terão ajudado, cerca de vinte anos passados, a formar um designer...

submetido por Lourdes em 17:40 | 16 comentários links para este post

26 janeiro 2008

Professores...

" ... são os profissionais em quem os portugueses mais confiam, e a quem dariam mais poder no país, segundo uma sondagem mundial efectuada pela Gallup para o Fórum Económico Mundial (WEF).


(No dia 25 de Janeiro 2008 - 12h29 Lusa)
Os professores merecem a confiança de 42 por cento dos portugueses, muito acima dos 24 por cento que confiam nos líderes militares e da polícia, dos 20 por cento que dão a sua confiança aos jornalistas e dos 18 por cento que acreditam nos líderes religiosos.Os políticos são os que menos têm a confiança dos portugueses, com apenas sete por cento a dizerem que confiam nesta classe.Relativamente à questão de quais as profissões a que dariam mais poder no seu país, os portugueses privilegiaram os professores (32 por cento), os intelectuais (28 por cento) e os dirigentes militares e policiais (21 por cento), surgindo em último lugar, com seis por cento, as estrelas desportivas ou de cinema.

Eu sabia que os portugueses sabem distinguir o trigo da docência do joio do ministério...

submetido por Lourdes em 18:45 | 0 comentários links para este post

24 janeiro 2008

Palácio de Queluz - Visita de Estudo





As Turmas A e L do 6º Ano da Escola Conde de Oeiras, no âmbito da disciplina de História e Geografia de Portugal, fizeram uma visita de estudo ao Palácio de Queluz, em Sintra.

O palácio, por alvará régio de D. João IV, em 1654, ficou instituído como a casa do infantado, pertença dos filhos segundos dos Reis de Portugal.








Sala do Trono

A “Casa de Campo” de Queluz e o Pavilhão da Caça devem a sua passagem a Palácio ao Infante D. Pedro ( viria a ser D. Pedro III),segundo filho de D. João V e de D. Mariana de Áustria, e irmão do Rei D. José I.


A primeira fase de reconstrução e ampliação da velha residência seiscentista coincidiu com o anúncio do casamento de D. Pedro com a sobrinha, futura Rainha D. Maria I, tornando-se por isso necessário ampliar e adaptar a “casa de campo” a Palácio Real.


Tecto da sala do trono




O arquitecto convidado para esta tarefa foi o francês Jean-Baptiste Robilion que se ocupou da decoração dos mais nobres espaços; Sala do Trono, sala da Música e sala dos Embaixadores.






Ampliou o projecto inicial criando a ala poente o pavilhão Robillion e a escadaria dos Leões (em cima à esquerda),com uma solução que parece saida de uma encenação, não foi mais que uma solução para resolver o problema do desnível entre os jardins superiores “à francesa” que rodeiam o Palácio e a “quinta” zona de pomar de citrinos que ainda hoje é visível.


Os jardins e o resto das zonas verdes do Palácio, estão decoradas com estátuas, balaustradas, lagos e azulejos.



Antes de entrar no Palácio, a professora Margarida Leitão deu a degustar uma especialidade palaciana: casca de laranja cristalizada.

(foto à esquerda) Duas alunas apreciando a iguaria.








Reconstituição do quotidiano no interior do Palácio


(à esquerda um momento de aula de canto, à direita as intrigas dos criados )




Durante a visita ao interior do Palácio os alunos foram acompanhados por especialistas dos serviços educativos do Palácio,








intercalados por momentos de encenação do quatidiano palaciano



O Palácio de Queluz passou a ser residência de Verão da Família Real
na segunda metade do século XVIII e até ao inicio do século XX.
Foi deste Palácio que saiu a Família Real com destino ao Brasil, aquando das Invasões Francesas.


Durante a visita falou-se de momentos da nossa História e também de estilos artísticos.
Diz-me que estilos artístícos podes ver na estatuária dos jardins e na arquitectura do Palácio.

O que define o Barroco, o Rococó e o Neoclássico?

submetido por Lourdes em 13:36 | 11 comentários links para este post

12 janeiro 2008

Máscara...

…é usada há muitos e muitos anos.

- Era e é usada em cerimónias ou rituais, que podem ser de iniciação à passagem adulta ou de evocação dos deuses.

A máscara - no ritual ou na festa

-Máscaras África, Caretos de Pudence, Festival de Máscaras Ibéricas, Veneza.

Este foi o resumo do desafio na aula de motivação para a criação de uma máscara; aprender mais sobre a máscara na vida e no mundo.

As alunas do 6º Ano da Turma K , Catarina Pereira, Inês Cavacas e Marta Lousada, fizeram uma pesquisa sobre a – Máscara Africana -

A Catarina Pereira, disse-nos:


… A máscara é um acessório que serve para cobrir o rosto;


Tem várias finalidade: lúdicas, em festas de Carnaval; ou de natureza artística; práticas, no trabalho, como forma de protecção do rosto.



Efectuou a recolha da imagem (à esquerda) de uma máscara africana (de madeira) da Costa do Marfim.



A Inês Cavacas, acrescentou:

A máscara na arte africana exprime usos e costumes das tribos africanas.


É uma arte extremamente voltada para o espírito religioso e ritualizado dos povos africanos. A máscara representa um disfarce místico com o qual os homens podem absorver forças mágicas dos espíritos. São usadas na cura de doentes, em rituais fúnebres, cerimónias de iniciação ao casamento e ao nascimento.

Pablo Picasso, por volta de 1905, descobriu a arte Africana – e a partir daí a sua obra sofreu a influência desta arte.

Peças de Picasso à direita



A Marta Lousada, ainda acrescentou:


Em África, as máscaras têm prestígio; são consideradas obras de arte. Têm ainda mais importância por se considerar que contêm o poder dos homens ou das divindades que representam. As máscaras africanas não tem nada a ver com o Carnaval ou com o divertimento. São feitas para circunstâncias muito especiais.

Máscara de madeira da Costa do Marfim (à esquerda)

Máscara de cerâmica da República Democrática do Congo (à direita)

- Três extractos de trabalhos, das alunas, Catarina, Inês e Marta.

- Fonte de pesquisa Wikipédia

submetido por Lourdes em 20:19 | 4 comentários links para este post

05 janeiro 2008

Museu Nacional do Azulejo...










Fica em Lisboa, na Rua Madre de Deus.





Foi convento, no século VI, fundado pela rainha D. Leonor.

Chamava-se então Convento de Madre de Deus. Foi ocupado pela Ordem das Franciscanas Descalças, pertencendo, no entanto, sempre à Casa das Rainhas.


No século XIX, com o fim das ordens religiosas em Portugal, o edifício é adquirido pelo Estado, ficando afecto ao asilo Maria Pia.






O painel de azulejo à direita é uma representação de Lisboa antes do terramoto de 1755


Em 1872, o convento sofre obras de restauro, tendo sido criado, também, um pequeno núcleo museológico.


Em 1916, a igreja e algumas dependências do Convento da Madre de Deus ficam sobre a responsabilidade do Museu Nacional de Arte Antiga.

Em 1958, teve lugar a realização, no Convento da Madre de Deus, da Exposição Comemorativa do 5.º Centenário do Nascimento da Rainha D. Leonor. A propósito desta exposição levou-se a cabo uma campanha de conservação e restauro dos espaços conventuais, tendo como objectivo a instalação do Museu do Azulejo.










Azulejos contemporâneos,
século XX





Em 1971, teve lugar a abertura ao público da exposição permanente de azulejos, como secção do Museu Nacional de Arte Antiga, instalado nas dependências confinantes com o Claustro de D. João III, constituindo a génese do Museu Nacional do Azulejo.

submetido por Lourdes em 17:37 | 0 comentários links para este post