Title image

links


links

links


links


dot Trabalhos dos alunos


28 dezembro 2008

Papel

Neste sítio http://www.comofazerpapel.com.br/
poderá saber a história do papel e dos seus antecedentes.
O papel tem sido o suporte dos trabalhos que temos desenvolvido.

Suporte porque é uma superfície onde aplicamos outros materiais. Desenhamos com vários riscadores, pintamos com lápis de cor e canetas de feltro e até o esculpimos.





O papel é fabricado de forma industrial o que torna mais fácil a sua utilização. As suas dimensões, obedecem a normas internacionais - a norma mais comum designa-se por série A -, tendo como base o formato A0. Ao dividirmos este formato a meio obtemos o formato A1 se formos sempre dividindo ao meio ficamos com os formatos A2, A3, A4, A5, A6, A7 e A8.

Existem muitos tipos de papel que variam quanto à textura (liso ou grosso) e à gramagem (maior ou menor peso).
Os papeis são identificáveis por nomes que advêm do formato e da gramagem e também das marcas dos fabricantes. Exemplos: Cartolina, Papel de máquina A4, Bloco papel cavalinho de desenho A3, etc.

No teu diário gráfico cola algumas amostras de papel variado e leva para a próxima aula.

submetido por Lourdes em 19:37 | 2 comentários links para este post

13 dezembro 2008

Natal na Escola



Pelo empenho do professor Carlos Figueira,
os sinos de Natal
chegaram à nossa
escola



















Nas aulas de Educação Visual e Tecnológica,
reutilizámos revistas, fazendo as nossas árvores de Natal.

Aprendemos a fazer estrelas usando a Geometria (passámos da bidimensão para a tridimensão)

















Neste Natal deixo-vos
um poema



o Natal
sabe a canela

tem cor no horizonte
que vês da tua janela
seja no mar ou no monte
o Natal é uma estrela
que no céu alguém te aponte
como a história mais bela
que um avô ao neto conte...

Jorge Castro - Natal - 2008






submetido por Lourdes em 21:07 | 9 comentários links para este post

08 dezembro 2008

Rafael Bordalo Pinheiro


No Sábado passado fui ao lançamento do livro «A Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha» - de Bordalo Pinheiro à actualidade: sua história, da autoria de Cristina Ramos e Horta, Isabel Maria Fernandes, Elsa Rebelo e Rafael Salinas Calado.

Foi no Centro Cultural das Caldas da Rainha. Este livro tem a curiosidade de ser, em parte, escrito por um professor meu, Rafael Salinas Calado, professor que muito admirei. Antes de mais uma pessoa amiga. Um sabedor, que gostava de ensinar, partilhando os seus saberes e experiências.



Era um entusiasta e estudioso da cerâmica portuguesa. Foi o fundador do actual Museu do Azulejo, em Lisboa.


Estudou as faianças das Caldas da Rainha (cerâmica identificável ou de autor, que teve início a partir da primeira metade do século XIX), impulsionada pela obra de um dos grandes ceramistas desta cidade, Rafael Bordalo Pinheiro.















O Gato um dos animais preferidos de Rafael Bordalo Pinheiro


Esta cerâmica conta-nos histórias com bichos aliados aos legumes, cópia dos que ainda hoje podemos adquirir directamente ao produtor, na praça da fruta.


















Na fábrica Bordalo Pinheiro, nas Caldas da Rainha, poderás ver estas e muitas mais peças de cerâmica. Quando puderes vai visitá-la e descobrirás algo de muito belo e genuinamente português.

submetido por Lourdes em 17:19 | 8 comentários links para este post